Transporte e Cidadania   Financiamento do Sistema   Qualidade do Sistema

 Transportando diariamente 1,4 milhão usuários, o Sistema de Transporte Coletivo por ônibus em Belo Horizonte abrange 300 linhas exploradas por 50 empresas vencedoras da última licitação, operando uma frota de 2.874 mil veículos com idade média de 5 anos e 8 meses.

O sistema vem sendo aprimorado desde 1995, com o Plano de Reestruturação do Sistema de Transporte Coletivo de Belo Horizonte-BHBUS, no sentido de criar uma rede de transporte integrada (metrô e ônibus municipais e intermunicipais), que se divide em dois subsistemas:

Tipo de LinhaSubsistema Tronco-Alimentado
(circulação nas áreas mais distantes do centro através de ônibus integrado ao metrô)
Subsistema Interbairros
(circulação na região central da cidade e complementa o sistema tronco-alimentado)
Alimentadoras (cor amarela)Fazem a ligação bairro-estações-bairro e integração com o metrô.
 
Troncais
(cor verde)
Realizam viagens que interligam as estações com o centro, com outras estações outros pólos, além de circularem nos principiais corredores de transporte. Podem ser Expressas, ou seja, sem pontos de parada no itinerário e nos corredores, ou Paradoras, que vão ao centro da cidade, parando nos pontos. 
Interbairros
(cor laranja)
Fazem o percurso bairro a bairro sem passar pela área central.Fazem o percurso bairro a bairro sem passar pela área central.
Circulares
(cor amarela)
 Atendem à área central.
Diametrais e Radiais
(cor azul)
 Fazem a ligação entre regiões e corredores passando pelo Hipercentro (diametrais) ou ligam as regiões e corredores com o hipercentro (radiais).


O direito de exploração do serviço de transporte público da quarta capital brasileira foi licitado para o período de dez anos, em um processo deflagrado pela Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, apontado como pioneiro no setor. A licitação do sistema de transporte coletivo possibilitou a criação do Fundo de Transportes Urbanos (FTU) que provê recursos alocados na construção das Estações do BHBUS e na melhoria do próprio sistema .

Fonte: GEDES – OUTUBRO/2003